Dia-a-dia

Covid-19: conheça sintomas da doença causada pelo novo coronavírus

Infecção pelo vírus SARS-CoV-2 é chamada de Covid-19. Saiba diferenciá-la de outros coronavírus e de gripes comuns


Imagem editada e redimensionada de Fusion Medical Animation, está disponível no Unsplash

No início de 2020, um novo vírus começou a ser notícia em manchetes do mundo todo devido à velocidade sem precedentes de sua transmissão. Desde suas origens no mercado de alimentos em Wuhan, na China, em dezembro de 2019, até países como Estados Unidos, Filipinas , Itália, Espanha e Brasil, o novo coronavírus (oficialmente chamado SARS-CoV-2), levando milhares de pessoas à morte, principalmente idosos.

A doença causada por uma infecção pelo SARS-CoV-2 é chamada Covid-19.

Apesar do pânico global nas notícias sobre esse vírus, é improvável que você contrate o SARS-CoV-2, a menos que tenha entrado em contato com alguém que tenha uma infecção por SARS-CoV-2.

Entenda quais são os sintomas do novo coronavírus e saiba diferenciá-los dos sintomas de outros coronavírus para evitar a disseminação para outras pessoas, caso você esteja com suspeita.

Quais são os sintomas?

Os médicos estão aprendendo coisas novas sobre esse vírus todos os dias. Até agora, sabe-se que o Covid-19 pode não causar inicialmente sintomas para algumas pessoas.

A pessoa infectada pode portar o vírus por 2 dias ou até 2 semanas antes de perceber os sintomas.

Alguns sintomas comuns que foram especificamente associados ao Covid-19 incluem:
Esses sintomas podem se tornar mais graves em algumas pessoas. Procure o serviço de emergência se você ou alguém de quem você cuida apresentar algum dos seguintes sintomas:

A lista completa de sintomas ainda está sendo investigada.

O que fazer se você tiver sintomas de COVID-19

Se você tem Covid-19 ou suspeita que tenha o vírus que causa o Covid-19, procure se isolar voluntariamente, lave as mãos com frequência, use máscara e procure ajuda médica. Uma iniciativa voluntária faz análise médica on-line gratuita e dá instruções sobre coronavírus: coronabr.com.br

COVID-19 versus gripe

Os cientistas ainda estão estudando se o coronavírus de 2019 é mais ou menos letal que a gripe sazonal. Isso é difícil de determinar porque o número total de casos (incluindo casos leves em pessoas que não procuram tratamento ou são testados) é desconhecido. No entanto, evidências precoces sugerem que esse coronavírus causa mais mortes do que a gripe sazonal.

Alguns sintomas da gripe comum:

O que causa o coronavírus?

A doença Covid-19 é uma zoonose, isso significa que é uma doença infecciosa capaz de ser naturalmente transmitida de animais para seres humanos. Para que o vírus passe de animal para humano, uma pessoa precisa entrar em contato próximo com um animal que carrega a infecção.

Quando o vírus se desenvolve nas pessoas, os coronavírus podem se espalhar de pessoa para pessoa através de gotículas respiratórias. Este é um nome técnico para o material úmido que se move pelo ar quando você tosse ou espirra.

O material viral permanece nessas gotículas e pode ser aspirado pelo trato respiratório (traqueia e pulmões), onde o vírus pode levar a uma infecção.

O coronavírus de 2019 não foi definitivamente vinculado a um animal específico. Os pesquisadores acreditam que o vírus pode ter sido passado de morcegos para outro animal - cobras ou pangolins - e depois transmitido aos seres humanos em um mercado que matava os animais para serem consumidos em Wuhan, China. Entretanto, animais domésticos como gatos e cachorros, não transmitem o novo coronavírus.

Quem está em maior risco?

Você corre o risco de contrair o SARS-CoV-2 se entrar em contato com alguém que o carrega, principalmente se você foi exposto à saliva ou esteve perto quando tossiram ou espirraram.

Sem tomar medidas de prevenção adequadas, você também corre um alto risco se:

Lavar as mãos é fundamental

Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos, desinfetar as superfícies, evitar colocar a mão no rosto e usar máscara e praticar o isolamento voluntário são práticas essenciais para diminuir o risco de pegar esse e outros vírus.
Os idosos e as pessoas com determinadas condições de saúde têm um risco maior de complicações graves se contraírem o vírus. Essas condições de saúde incluem:

As mulheres grávidas têm um maior risco de complicações de outras infecções virais, mas ainda não se sabe se esse é o caso do coronavírus de 2019.

Como é feito o diagnóstico

O COVID-19 pode ser diagnosticado de maneira semelhante a outras condições causadas por infecções virais: usando uma amostra de sangue, saliva ou tecido. No entanto, a maioria dos testes usa um cotonete para recuperar uma amostra do interior das narinas.

Os testes são conduzidos por alguns departamentos estaduais de saúde e algumas empresas. Mas cuidado para não cair em golpes.

Procure ajuda médica se você acha que tem Covid-19 ou se notar sintomas. O médico ou médica o aconselhará sobre se você deve ficar em casa e monitorar seus sintomas.

Quais tratamentos estão disponíveis?

Atualmente, não há tratamento especificamente aprovado para o Covid-19, nem cura para uma infecção, embora tratamentos e vacinas estejam em fase de estudo. Em vez disso, o tratamento se concentra no gerenciamento de sintomas à medida que o vírus segue seu curso.

Procure ajuda médica se você acha que tem Covid-19. O seu médico irá recomendar tratamento para quaisquer sintomas ou complicações que se desenvolvam.

Outros coronavírus como SARS e MERS também são tratados através do gerenciamento de sintomas. Em alguns casos, tratamentos experimentais são testados para verificar a eficácia deles. Exemplos de terapias usadas para essas doenças incluem:

Quais são as possíveis complicações do COVID-19?

A complicação mais séria de uma infecção por SARS-CoV-2 é um tipo de pneumonia. Um estudo realizado com 138 pessoas internadas em hospitais em Wuhan, na China, constatou que 26% das pessoas apresentaram casos graves e precisaram ser tratadas na unidade de terapia intensiva (UTI).

Cerca de 4,3% dessas pessoas que foram para a UTI morreram por esse tipo de pneumonia. Note-se que as pessoas que foram para a UTI eram, em média, mais velhas e tinham mais condições de saúde subjacentes do que as pessoas que não foram à UTI.

Até agora, a pneumonia é a única complicação especificamente ligada ao coronavírus de 2019. Os pesquisadores observaram as seguintes complicações em pessoas que desenvolveram o COVID-19:

Como prevenir o coronavírus

A melhor maneira de impedir a propagação da infecção é evitar ou limitar o contato com pessoas que apresentam sintomas de Covid-19 ou qualquer infecção respiratória. Além disso, é preciso praticar boa higiene isolamento social.

Dicas de prevenção

Outros tipos de coronavírus

Um coronavírus recebe esse nome pela sua aparência vista em um microscópio.

A palavra corona significa “coroa” e, quando examinada de perto, o vírus redondo possui uma “coroa” de proteínas chamadas peplômeros que se projetam do centro em todas as direções. Essas proteínas ajudam o vírus a identificar se pode infectar seu hospedeiro.

A condição conhecida como síndrome respiratória aguda grave (SARS) também estava ligada a um coronavírus altamente infeccioso no início dos anos 2000. O vírus SARS já foi contido.

COVID-19 vs. SARS

Esta não é a primeira vez que um coronavírus é notícia - o surto de SARS de 2003 também foi causado por um coronavírus.

Assim como o vírus de 2019, o vírus da SARS foi encontrado pela primeira vez em animais antes de se espalhar para os seres humanos.

O vírus SARS veio de morcegos, foi transferido para outro animal e depois para os humanos.

Uma vez transmitido aos seres humanos, o vírus da SARS começou a se espalhar rapidamente entre as pessoas.

O que torna o novo coronavírus tão problemático é que um tratamento ou cura ainda não foi desenvolvido para ajudar a impedir sua rápida disseminação de pessoa para pessoa.

Qual é a perspectiva?

Antes de mais nada, não entre em pânico. Seguir as diretrizes simples de lavagem das mãos e isolamento social pode ajudar a protegê-lo contra a exposição ao vírus.

O coronavírus de 2019 provavelmente parece assustador quando você lê as notícias sobre novas mortes, quarentenas e proibições de viagens. Mantenha a calma e siga as instruções do seu médico se você for diagnosticado com Covid-19, para que possa se recuperar e ajudar a impedir que se espalhe.


Fonte: Lindsay Slowiczek, PharmD em 25 de março de 2020 Novo - Escrito por Tim Jewell

Veja também: